Life Style

Cardeal do Vaticano exorta os europeus a lembrarem-se das próprias raízes migratórias antes das eleições europeias

ROMA (AP) – Um importante cardeal do Vaticano apelou esta segunda-feira aos eleitores europeus para que se lembrem das suas próprias raízes migratórias e demonstrem simpatia pelas pessoas forçadas a fugir das suas casas, dias antes de uma eleição para o Parlamento Europeu em que a migração é um grande problema.

Cardeal Michael Czerny, pessoa responsável pelo Papa Francisco migração falava no lançamento da mensagem anual do Papa para os migrantes, cujo tema este ano recorda a presença de Deus na jornada de fé de cada cristão e o acompanhamento de Deus às pessoas em movimento.

Questionado se tinha uma mensagem para os eleitores europeus, Czerny recordou o tema da mensagem do papa e disse que hoje em dia muita conversa sobre migração é alimentada pelo medo, pela ideologia e pela propaganda sobre uma “crise global” que ele diz não existir.

“Também seria útil que os europeus reconhecessem as suas próprias raízes migratórias”, acrescentou. “Sabemos pela ciência que a raça humana não nasceu aqui e muitos europeus provêm de pessoas em movimento.

“É realmente uma pena que depois de duas ou três gerações as famílias esqueçam as suas raízes migratórias e aqueles que as ajudaram”, disse ele. “Agora é nossa oportunidade de ajudar.”

Francisco fez do alcance dos migrantes uma prioridade do seu pontificado e apelou aos países receptores, dentro das suas possibilidades, para acolherem, protegerem, promoverem e integrarem os migrantes. Mas muitos políticos capitalizaram o medo que os europeus têm dos migrantes, incluindo em Itália, onde a migração ocupa regularmente um lugar de destaque nas campanhas eleitorais.

Czerny também recordou o êxodo bíblico dos judeus e a figura do Bom Samaritano ao exortar os europeus a mostrarem caridade cristã para com os migrantes.

“Com condições e pressões, sofrimentos e perdas iguais ou semelhantes, cada um de nós teria saído de casa muito mais cedo”, disse ele.

Enquanto Czerny falava, as autoridades confirmaram que a primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni, viajaria para a Albânia esta semana, antes da votação do fim-de-semana, para verificar os centros de detenção de migrantes que a Itália está a construir na Albânia.

Meloni defendeu a acordo polêmico terceirizar os migrantes para a Albânia enquanto a Itália processa os seus pedidos de asilo como parte da sua estratégia para dissuadir as pessoas de fazerem a arriscada travessia do Mediterrâneo.

Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button